quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Tiririca é internado com Pedra na Vesícula


O palhaço Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca (PR-SP), foi internado no início da tarde desta terça-feira (28) em Fortaleza (CE). Ele deverá passar por uma cirurgia para retirada de cálculos na vesícula. O humorista foi submetido a uma ultrassonografia no final da tarde desta terça-feira. Os médicos confirmaram o diagnóstico.

Tiririca foi eleito deputado federal, com 1,3 milhão de votos, e diplomado no dia 17 deste mês.

domingo, 21 de novembro de 2010

Remédio caseiro para Pedra na Vesicula

Segundo os que acreditam e espalham receitas caseiras para curar doenças que nem sempre são simples, acreditam que tomar uma colher de sopa de vinagre de cidra, em meio copo de água, antes ou depois das refeições, faz desaparecer as queixas (as dores provocadas pela pedra na vesícula), em caso de crise, ou evita as crises, se o tratamento for feito no início dos sintomas.
Como "preventivo" basta fazer o tratamento: uma colher de sopa de vinagre em meio copo de água, em jejum, 2 ou 3 vezes por semana.

Um Tratamento Caseiro muito usado para ELIMINAR (expelir) as pedras da vesícula é:
(este tratamento chegou até aqui através dos comentários existentes no texto que esteve publicado anteriormente, com o mesmo título)

Tomar, em jejum, cerca de 150 ml de azeite puro (há quem designe "azeite de oliva" por "herança da terminologia espanhola). Deixar agir durante uma hora e depois tomar um purgante (que pode ser substituído pela colher de sopa de vinagre de cidra ou por um chá laxante). Nesse dia deve-se fazer dieta comendo refeições bem leves e SAUDÁVEIS. Diz quem já fez que se sente um pouco de fraqueza mas que se conseguem expelir todas as pedras da vesícula (que são bem verdinhas).
"AMIGAS MINHAS FICARAM MUITO GRATAS POR ESTE REMÉDIO.
EU NÃO TINHA NENHUM SINTOMA, MAS TOMEI ASSIM MESMO, PORQUE O AZEITE É BOM PARA DIMINUIR O COLESTEROL RUIM".

Há um tratamento semelhante que pode substituir este, para quem não consiga fazê-lo (eu não consigo engolir 15o ml de azeite):
Tomar uma colher de sopa de azeite, em jejum (eu só consigo tomar o azeite colocando-o na boca e mastigando um bocadinho de pão ou tosta). Espera-se 20 minutos e toma-se uma colher de sopa de vinagre de cidra com meio copo de água. Fazendo este tratamento durante vários dias também se conseguem eliminar as pedras da vesícula.

Quando as pedras são muoito grandes deve-se começar por fazer um tratamento com chás.
Há várias plantas usadas em chás para os problemas de vesícula. Aqui ficam os nomes de algumas:
-- Folha de abacateiro (vesícula preguiçosa e pedra)
-- Boldo (ou Boldo do Chile) tratamento da vesícula em geral
-- Bardana (idem)
-- Chá de Lúcia Lima (ou Verbena), Lippia Citriodora, (idem)
-- Chá de agulhas de pinheiro (desfaz os cálculos biliares - pedra da vesícula)

Nota:
Quem tem problemas de vesícula deve evitar:
- o café;
- os frutos secos;
- as frutas com caroço, tais como pêssegos, mangas, etc.
- os fritos
- as gorduras- em geral todo o tipo de refeições consideradas "pesadas".

Nota: Há estudos que dizem que o cafe (a cafeína) não faz mal, muito pelo contrário: ajuda a tratar. Porém, o problema do café não é a cafeína mas a enorme quantidade de toxinas (mais de 3 mil) que contém e passa para o organismo. A cafeína pode ajudar a tratar, mas as toxinas prejudicam muito mais.
O papel das toxinas é fundamental como "catalisador" neste e noutros problemas.

domingo, 10 de outubro de 2010

Mitch está de volta aos palcos depois de ficar internado por conta de pedra na vesícula

Amy Winehouse deu apoio para o pai, Mitch, na noite da última quinta-feira (7). Ele, que deixou de lado a vida de taxista para se dedicar à carreira musical, dividiu o palco com a filha durante o lançamento de um show burlesco em um clube de Londres, na Inglaterra. De acordo com o site do jornal inglês "Daily Mail", Amy assistiu ao pai da platéia quando decidiu se juntar a ele para uma performance musical improvisada.

Mitch está de volta aos palcos depois de ficar internado por conta de uma pedra na vesícula. Ele passou mal durante uma viagem para a Espanha, no mês de agosto, e precisou ser levado para o hospital. De volta à Inglaterra, Amy se encarregou de cuidar do pai no hospital. Mitch tem feito shows para divulgar seu primeiro álbum. rimeiro álbum, "Rush Of Love".

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Saiba tudo sobre como acabar com Chulé

O chulé, que cientificamente é chamado de bromidose plantar, é causado pelo suor excessivo na planta dos pés. O problema é fortemente agravado pela falta de higiene, saiba mais em http://chule-acabar.blogspot.com/

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Pai de Amy Winehouse é internado com Pedra na Vesícula

Amy Winehouse não escapou das lentes dos paparazzi enquanto fazia compras em um mercado no norte de Londres, nesta semana. Acompanhada de um bruta segurança particular, a cantora chamou a atenção ao aparecer no local usando uma saia curtinha. De acordo com a agência "Grosby", ela olhou algumas prateleiras e deixou o supermercado carregada de sacolas com doces.Longe dos palcos, Amy Winehouse tem aproveitado para se dedicar ao novo namorado, o cineasta Reg Traviss, e ao pai, Mitch. Na semana passada, ela foi fotografada enquanto visitava o pai no hospital. Ele foi internado depois de ser diagnosticado com pedra na vesícula. Na Espanha, onde viajou à trabalho, Mitch recebeu tratamento antes de embarcar para a Inglaterra com sintomas de gastroenterite.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Fila do SUS deixa rapaz aguardando há três dias por cirurgia de Pedra na Vesícula

Em Cascavel, no Oeste do Paraná, um paciente aguarda, desde terça-feira (10), uma vaga para ser internado e passar por uma cirurgia de emergência no Hospital Universitário (HU).
Com pedra na vesícula, o rapaz não come nada há três dias, porque precisa estar com o estômago vazio no momento em que conseguir atendimento. Mas ele não é o único a esperar na fila. Cerca de 50 pessoas aguardam por atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no local. O HU conta com 177 leitos do SUS, mas para atender todos os pacientes que necessitam do serviço seriam necessários pelo menos mais 100 leitos. Como é o único hospital da região que atende quadros mais complexos pelo SUS, os funcionários têm dificuldades para atender todos os pacientes.
Em entrevista ao telejornal ParanáTV 1ª edição, da RPC TV, a coordenadora de internação do HU, Claudete Brixner, explicou que muitos pacientes, inclusive de outros municípios, são encaminhados pela Regional de Saúde ao HU porque não há determinadas especialidades nos hospitais de cidades vizinhas. Esta situação gera uma sobrecarga e a espera pelo atendimento pode durar semanas.

domingo, 8 de agosto de 2010

Pedra nos Rins

Dentro da linha de informar, com qualidade e precisão, convidamos a você, nosso leitor a conhecer nosso blog PEDRA NOS RINS http://pedra-nos-rins-dor.blogspot.com/

domingo, 1 de agosto de 2010

Café ajuda a evitar Pedra na Vesícula

De manhã cedo, vigiando a panela enquanto a água fervia para um café, me flagrei divagando sobre comidas que considero estranhas. Por exemplo: dá até para entender como descobriram a pipoca. Depois do incêndio no milharal, o sujeito saiu das cavernas e viu vários flocos branquinhos; desceu um goela abaixo e o resto é aquilo que você leva para comer no cinema.


Mas e os vegetais comestíveis? Quem foi o maluco que saiu mastigando cada matinho das redondezas para saber o que prestava ou não? Imagino as legiões de neandertais alucinados com cogumelos tóxicos e outros tantos escondidos nas moitas com gastrenterites lendárias que jamais saberemos.

Outra: quem foi o obcecado que descobriu a mandioca? Tente arrancar uma para você ter uma idéia do esforço. E depois socar aquilo em um pilão até virar farinha... Isso para não falar que a parte comestível, a raiz, pode conter substâncias altamente tóxicas. Só é possível distinguir as espécies venenosas em um laboratório – que certamente não estava disponível no neolítico. Felizmente, deixar a raiz da mandioca descascada em água por uma hora ou duas e depois cozinhar por mais uma hora em água fervendo a torna apta ao consumo.

Como a turma do tacape foi descobrir isso, não sou eu quem irá responder.

E chegamos ao café. Você tem que concordar, o café não é lá uma planta amigável: o fruto deve ser colhido, secado, torrado, moído e passado em água quase fervente. Em termos de otimização do gasto de energia, seria mais econômico simplesmente chupar uma laranja ao invés de torturar grãos de café. Mas não, tínhamos que inventar moda. Há 6 mil anos, sem shopping center, playstation ou revistinhas de palavras-cruzadas, todo o potencial de raciocínio ocioso do ser humano primitivo não poderia resultar em outra coisa, e fomos invadindo as intimidades da natureza.


Reza a lenda que o café foi descoberto na região de Caffa, Etiópia, quando um pastor chamado Kaldi observou uma de suas cabras com um comportamento muito ativo e animado. Ao investigar, percebeu que a cabra saltitante havia comido algumas frutinhas amarelo-avermelhadas. É óbvio que não tardou para que Kaldi experimentasse uma infusão das frutas e descobrisse um excelente combustível para suas horas extras de pastoreio.

Estimulante


O extraordinário potencial estimulante do café sempre foi motivo de preocupação. Por isso, há alguns anos, ele vem sendo alvo de pesquisas para determinar seu potencial de risco para a saúde. Se você, como eu, não abre mão de um bom cafezinho, anote aí algumas excelentes notícias sobre os estudos mais recentes e outras desculpas para uma xícara a mais:


- O consumo moderado de café (4-6 xícaras por dia) diminui o risco de diabetes tipo 2, pedras na vesícula, câncer no intestino grosso, doença de Parkinson, mal de Alzheimer e reduz a incidência de cirrose em pessoas com doenças crônicas no fígado.


- O café melhora as funções cognitivas, a capacidade de concentração, a velocidade de raciocínio e o desempenho em atividades físicas de resistência. Algumas pesquisas sugerem ainda que crianças que tomam café com leite diariamente apresentam uma incidência menor de depressão quando comparadas a crianças que não tomam a mesma mistura.


- Se você for apelar para um cafezinho para combater o sono, uma dica: ao invés de tomar de uma vez só aquela xícara de 5 litros, procure separar um pouco as tomadas ao longo do período em que deseja permanecer acordado. Prepare seu cafezinho e tome 6 colheres de sopa de hora em hora.


- Apesar de tantos benefícios, o café não é completamente inocente. Em excesso, ele pode causar indigestão, hipoglicemia, descontrole nos níveis de colesterol, problemas de fertilidade, nervosismo, ansiedade, tremores, aceleração dos batimentos cardíacos e aumento do risco para osteoporose.


- Além disso, café vicia. Pessoas que têm o hábito de tomar quantidades generosas experimentam sintomas de abstinência quando tentam parar de uma vez. Estes sintomas incluem dores de cabeça, fadiga, desânimo, dificuldade de concentração, irritabilidade e até mesmo depressão. O quadro de abstinência se inicia cerca de 12-24h após a última dose de café e pode se estender por até 10 dias.


Se preferir um resumo dessa história toda, guarde apenas isso: o café possui poucos riscos e muitos benefícios para sua saúde, mas o segredo está na moderação. Mantenha uma boa média diária com algumas gotas de adoçante ou pouquíssimo açúcar, e você certamente extrairá apenas a parte boa da história.


Agora deixa ir que a água está quase no ponto. Aceita uma xícara aí?

Aposentada afirma: “Tive pedra na vesícula por causa dessa água”

Abrir a torneira e ver jorrar água é privilégio distante a muitos cuiabanos. Agraciada pelo líquido em abundância, a Capital peca na distribuição. Em relatório elaborado pela Companhia de Saneamento da Capital (Sanecap), 97% dos lares cuiabanos são abastecidos por água, porém, de forma irregular.

Nem torneira nem água. Na casa de Francisca Ferreira Azevedo (31), moradora do bairro Dr. Fábio e mãe de cinco filhos em idade escolar, não existe rede de distribuição de água. Debaixo de um barraco, para beber o líquido, ela conta com a solidariedade de vizinhos. ”Essa situação é péssima. Pelo menos a água deveria ser à vontade”, aponta.

Na região norte de Cuiabá – na Grande Morada da Serra -, até quem pode construir poços artesianos anda passando por necessidades, devido ao período de estiagem. “Quando Deus manda a gente não compra água”, relata uma moradora. Além do problema da distribuição, em outras localidades a qualidade da água é inapropriada para o consumo porque é salobra.

Na avenida Governador Valadares, no bairro Alto da Serra, a moradora Fabiane Sena (37) teve que passar por cirurgia depois de consumir por um ano a água que vinha das torneiras. “Tive pedra na vesícula por causa dessa água”, confirma. Uma das vizinhas de Fabiane ainda diz que a água, por conter muitos resíduos, sempre entope o chuveiro e enferruja as torneiras.

Como saída, os moradores sempre compram água mineral e o custo mensal do líquido não sai por menos de R$ 40. Quando a água resolve aparecer nas torneiras, ela é usada para a limpeza da casa, lavagem das roupas, entre outros usos.

Se fosse precisar do poder público, talvez a empresária Rosângela Neide Belém (36) não teria aberto a lavanderia no bairro Dr.Fábio I, que emprega 11 pessoas e atende pousadas, hotéis e motéis em Cuiabá e Várzea Grande. Até no período de construção, Rosângela teve que comprar água para erguer a estrutura do estabelecimento, já que na rua onde mora a rede de distribuição instalada não funciona. “Eu tive que construir um poço caseiro e outros dois artesianos para dar conta da produção. Já teve água nos canos, mas isso já faz um bom tempo”, calcula.

Sem estrutura mínima de habitação, já é visível o abandono de muitas casas. Na frente da residência de Leidiane Souza Santos (28), dois vizinhos já se mudaram. “Só fica mesmo quem não tem opção”, aponta. A região em questão visitada pela reportagem é oriunda de invasão. Os moradores não possuem escritura das casas e, com isso, ficam impossibilitados de ter acesso ao serviço de distribuição da água.

sábado, 10 de julho de 2010

Pedra na Vesícula - Sexo no pós operatório

Recebemos muitas perguntas sobre quando o pós operado pode voltar a fazer sexo.... amigo, quando der conta, transar não afetará a cirurgia, mas é claro que logo após a pessoa fica fragilizada, com dores, então..é bom dar um time, um tempo.

Mas saiba que as pedras surgem quando a ocorre um desequilíbrio entre a quantidade de água e das substâncias presentes na bile, favorecendo a solidificação da mesma. Pode ocorrer por falta de água ou excesso de alguns dos componentes, particularmente colesterol e pigmentos.

Os principais fatores de risco são:

* Idade: incomum em pessoas jovens, o risco de se desenvolver colelitíase (cálculo na vesícula) é 4x maior a partir dos 40 anos de idade.
* Sexo: A pedra na vesícula é 3x mais comuns em mulheres do que em homens. A partir dos 60 anos essa diferença cai bastante, pela também queda dos níveis de estrogênio.
* Gravidez: pelo excesso de estrogênio durante a gestação
* Reposição hormonal: também pelo estrogênio
* Obesidade : é o principal fator em jovens, principalmente do sexo feminino
* História familiar positiva: parentes de 1º grau com história de pedras na vesícula aumenta em 2x o risco.
* Rápida perda de peso: grandes perdas de peso em pouco tempo ou dietas com muito baixa caloria também são fatores de risco
* Diabetes
* Cirrose (leia: CIRROSE HEPÁTICA - Causas e Sintomas)
* Jejum prolongado: quanto maior o tempo da bile na vesícula, mais desidratada ela fica e maior o risco de formação de pedras

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Fascite Plantar, tratamento e cura

Fascite Plantar, tratamento e cura é o novo Blog da Griffo Marketing, no endereço www.fascite-plantar.blogspot.com . No Blog você entenderá tudo sobre essa dor que CARACTERIZA-SE POR UMA INFLAMAÇÃO OCASIONADA POR MICROTRAUMATISMOS DE REPETIÇÃO NA ORIGEM DA TUBEROSIDADE MEDIAL DO CALCÂNEO.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Uldorico Pinto dá dicas sobre Pedra na Vesicula

As pedras levam geralmente anos para de formarem. Algumas podem se formar em meses (exceção). Estão presentes em 20% das mulheres e 10% dos homens Há dois tipos básicos de pedras: de colesterol e de pigmentos biliares. As de colesterol são as mais comuns.
Cerca de 75% das pessoas que tem pedras na vesícula não tem sintomas. O sintoma mais comum é a dor aguda, tipo cólica na parte superior de abdômen, algumas vezes sendo confundida com problemas de estômago, ou problemas de coluna (dor nas costas ).
Pacientes com pedras na vesícula sem sintomas devem evitar alimentos gordurosos e considerar acirurgia como o melhor tratamento. Converse com seu médico a respeito de não operar e sobre as complicações que podem trazer uma vesícula com pedras.Pessoas que perdem peso rapidamente tem maior risco na formação de pedras de colesterol. Pedras de pigmentos biliares estão presentes em pacientes com doenças hematológicas.

domingo, 17 de janeiro de 2010

O fato de se retirar a vesícula não afeta o funcionamento do fígado ou do intestino?

Não afeta de modo algum. Evolutivamente, o homem não necessita hoje em dia da vesícula, pois se alimenta várias vezes ao dia o que torna a vesícula um órgão sub-utilizado, já que não há a necessidade de se armazenar tanta bile. Alguns pacientes, contudo, ao retirar a vesícula podem apresentar um aumento no número de evacuações no primeiro mês.

Por que a tendência de apresentar pedra na vesícula aumenta com a idade?

Na verdade muitas pessoas são portadoras de cálculos biliares, contudo não apresentam qualquer tipo de sintoma, sendo diagnosticada a "pedra" na maioria das vezes de modo incidental, nos exames de rotina (os tais "check-ups"), como tomografia e ultrassom do abdome. É preciso tomar cuidado para que o quadro não evolua, para um quadro agudo de inflamação da vesícula (colecistite aguda), quando um cálculo obstrui a saída da bile; colangite, que corresponde a uma infecção grave dos canais que levam a bile para o intestino; e até mesmo uma gangrena da vesícula.

Qual é a função da vesícula em nosso organismo? Qual é o seu tamanho e localização?

A função da vesícula biliar é armazenar bile para ajudar na digestão de gorduras. Possui tamanho aproximado de oito cm, como se fosse um pequeno figo, localizada na borda inferior do fígado, do lado direito do abdome. Existem vários tipos de cálculos (pedras), mas os dois principais são os de colesterol e os pigmentados.

Dieta rica em gorduras contribui para o aparecimento contribui para o aumento de Pedras na Vesicula

Você já ouviu falar em colelitíase? Na realidade, esse é o nome dado ao diagnóstico de pedras na vesícula biliar - uma espécie de "bolsa" que armazena a bile, antes desse líquido atuar no processo digestivo dos alimentos, principalmente das gorduras, realizado pelo intestino.

Existem vários fatores relacionados ao risco de apresentar pedras na vesícula, como a idade (a freqüência aumenta com o processo de envelhecimento), gravidez, obesidade, sexo (mais freqüente em mulheres), terapia de reposição hormonal e níveis altos de triglicérides no sangue.

Uma pessoa pode ter pedra na vesícula biliar e não saber, pois não apresenta quaisquer sintomas. A "descoberta" do problema acontece, normalmente, durante exames de rotina. "A cólica biliar, um tipo de dor constante, que se localiza na região superior direita do abdome, é o sintoma mais freqüente das pessoas que apresentam pedra na vesícula. Essa dor é, quase sempre, acompanhada de náuseas", explica Dr. Vladimir Schraibman, especialista em cirurgia geral, gastrocirurgia e único orientador de Cirurgias Robóticas da área de Cirurgia Geral e do Aparelho Digestivo do Hospital Israelita Albert Einstein (Proctor Intuitive Robotic System). O especialista esclarece, nessa entrevista, várias questões sobre essa doença.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Pedra na vesícula afeta mais as mulheres

Um problema com difícil forma de detecção, mesmo atingindo cerca de 20% da população do País, e que faz parte do crescente grupo das chamadas doenças do século - impulsionadas por maus hábitos -, a colelitíase, ou pedra na vesícula biliar, afeta quatro mulheres para cada homem. O principal fator de risco é a alimentação desequilibrada, com muita gordura e poucas fibras. Mas as mulheres têm outro agravante: as questões hormonais.

“Principalmente mulheres com mais de 40 anos, que tiveram muitos filhos e estão acima do peso”, diz o gastroenterologista André Siqueira Matheus, da Universidade de São Paulo (USP). Ele enumera a regra dos “quatro Fs” para citar os fatores de risco: female (mulher), forty years old (40 anos), fat (obesa) e fertile (que teve grande número de gestações).

“A dieta da população ocidental é baseada em muita gordura animal - carne vermelha, leite e derivados”, explica o gastroenterologista do Hospital Albert Einstein Vladimir Schraibman. Esses alimentos são riscos em colesterol que, em excesso, podem levar à formação do cálculo na vesícula.

Segundo Schraibman, todos os dias são feitas 5 mil cirurgias do tipo no Brasil. Mas o número de pessoas que sofre do problema é maior, pois 70% dos casos não apresentam sintomas - a doença é detectada quando a pessoa vai tratar outro mal.

Sintomas

Quanto apresenta sintomas, o paciente sente dor do lado direito e embaixo das costelas e o estômago pesado. As dores podem vir acompanhadas de náuseas e vômitos. Os sintomas ocorrem principalmente após uma refeição com excesso de gordura. Se não for tratado, o cálculo pode obstruir canais que levam a bile ao intestino, provocando dor e icterícia. Se chegar ao pâncreas, causa inflamação que pode matar.